Petistas decidem oficialmente explorar ação no Pinheirinho

Reunida em Brasília, cúpula do partido inclui episódio da reintegração de área, que degastou tucanos de SP, em texto

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2012 | 03h06

O comando do PT decidiu explorar a violência policial na área conhecida como Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), na campanha do candidato Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo. Em nota divulgada ontem, a Executiva Nacional do partido afirma que lutará, ainda este ano, pela aprovação de projetos de lei que estabelecem a "função social" da propriedade e por uma "plataforma" sobre mediação de conflitos e direitos humanos. "O PT considera que tão importante quanto a denúncia da violência e de seus autores, a (...) reparação das vítimas da barbárie e a responsabilização criminal e civil das pessoas e instituições envolvidas, é a busca de soluções permanentes que impeçam as arbitrariedades hoje facultadas aos Poderes Executivo e Legislativo em situações limite em conflitos sociais", diz um trecho do documento.

A nota que passou pelo crivo da cúpula petista cita as operações policiais do governo paulista, comandado pelo PSDB, contra "famílias indefesas" em São José dos Campos e também na cracolândia. A portas fechadas, integrantes da Executiva contaram que receberam informações sobre uma ação de reintegração que deve ocorrer neste ano numa área em Carapicuíba (SP), cidade administrada pelo PT. O diagnóstico foi de que o objetivo seria constranger o partido da presidente Dilma Rousseff.

Apesar da polêmica que o tema invasões suscita no eleitorado, a nota da Executiva petista destaca que o Congresso precisa aprovar "novas legislações sobre os limites e a função social da propriedade". Além disso, o texto que recebeu sinal verde do PT diz que tanto o Conselho Nacional de Justiça como o Conselho Nacional do Ministério Público devem se debruçar sobre atos "autorreguladores" a partir da análise da participação dos agentes públicos nas decisões judiciais referentes à reintegração de posse no Pinheirinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.