Petista critica oposição por uso político da religião

O petista Fernando Haddad também criticou a oposição de explorar, "de maneira esperta", a crença religiosa dos eleitores para se beneficiar politicamente. Ao falar sobre a polêmica levantada na eleição de 2010 sobre a legalização do aborto e recentemente sobre o kit anti-homofobia do Ministério da Educação, Haddad disse que o uso "torpe" destes temas incentiva o preconceito e promove a violência. "Isso não faz bem para o Brasil", disse.

O Estado de S.Paulo

01 de março de 2012 | 03h05

Haddad lembrou que o kit anti-homofobia surgiu de uma emenda parlamentar e que, devido às críticas da bancada religiosa contra a distribuição do material nas escolas, a iniciativa foi suspensa, mas o kit foi utilizado em cursos de formação de professores. Para ele, ainda existe muita desinformação na sociedade sobre o episódio. "É muito barulho por nada", reclamou. Uma das razões para a derrota da oposição na última eleição presidencial, afirmou, foi a visão desrespeitosa em relação à fé das pessoas.

Questionado sobre o que pensa da união homoafetiva, disse apenas que é preciso "respeitar a decisão do Supremo". Já sobre o aborto, revelou que, pessoalmente, é contra, mas destacou que é preciso implementar políticas públicas para que as mulheres possam planejar suas vidas. / D.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.