Pesquisa revela imprensa livre, mas 'coagida'

Na avaliação de 67% dos diretores de veículos de comunicação da América Latina, a imprensa tem liberdade constitucional, mas é esporadicamente ameaçada ou coagida. O mesmo grupo acredita que está em curso no continente um amplo processo destinado a restringir a liberdade dos meios de comunicação.

O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2012 | 08h14

Essa preocupação foi detectada num levantamento divulgado ontem na Assembleia da SIP. De acordo com a mesma pesquisa, 36% dos diretores dizem que as ameaças se localizam sobretudo nos governos. Outros 28% apontam o sistema judiciário. As organizações criminosas e o legislativo aparecem em seguida, com 9% e 7%, respectivamente.

A pesquisa envolveu 14 países e foi patrocinada pela SIP, com apoio da Associação Nacional de Jornais (ANJ) e dos grupos editoriais Estado e RBS. As respostas variaram de uma região para outra. Na América Central, 33% dos jornalistas consultados apontaram as organizações criminosas como principal ameaça. "O diagnóstico é preocupante", disse Marcelo Beraba, diretor da sucursal do Estado no Rio, ao apresentar a pesquisa. / R.A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.