Perto do prazo final, Dilma prestigia Marinho e Paes

Antes da proibição pela Justiça Eleitoral, presidente participa de entrega de equipamentos em São Bernardo e no Rio

TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2012 | 03h06

Apesar ter dito que não participaria de campanhas nos municípios, a presidente Dilma Rousseff já começou a "dar uma mãozinha" a alguns dos candidatos preferenciais do Planalto. Está programada para hoje a participação dela na inauguração de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em São Bernardo do Campo, maior cidade do ABC paulista e terra do ex-presidente Lula.

Dilma subirá ao palanque ao lado do prefeito Luiz Marinho (PT), candidato à reeleição. Amanhã, tem agendas com o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB). As participações foram marcadas às vésperas da proibição de candidatos irem a inaugurações de obras públicas, no sábado. A partir de amanhã, a Justiça Eleitoral permite a campanha de rua. "Tecnicamente não é campanha. É uma inauguração. Campanha só depois do dia 7", comentou um interlocutor de Dilma.

Mas, ao lado de Marinho (PT), Dilma fará discurso em sinal de apoio ao candidato. Episódio semelhante ocorrerá amanhã, no Rio. Ela tem duas inaugurações com Paes e o governador Sérgio Cabral, peemedebistas cada vez mais próximos do Planalto.

Pela manhã, Dilma vai aparecer na cerimônia de entrega de 640 casas do programa Minha Casa, Minha Vida. À tarde, inaugurará uma coordenação de emergência ao lado do Hospital Miguel Couto, no Leblon. A presidente deve discursar nessas solenidades, a exemplo do que fez em março, quando exaltou com Paes a importância da parceria entre os governos federal, estadual e municipal.

Dilma também esteve com Fernando Haddad (PT), candidato em São Paulo, na exposição Guerra e Paz, no Memorial da América Latina.Na terça-feira, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse que Dilma quer se manter afastada das eleições municipais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.