Peritos criticam corte de gastos da pasta das Mulheres

Peritos da ONU cobraram o governo brasileiro pelo corte de gastos previstos para a Secretaria de Políticas para as Mulheres, pasta em que muitos programas tiveram execução orçamentária inferior a 50% em 2011. Nas ações para lidar com as consequências de abortos de risco, o governo usou 41% do valor previsto. O dado chamou a atenção das Nações Unidas, ainda mais por se tratar do governo da primeira mulher a presidir o Brasil.

O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2012 | 03h09

A ministra Eleonora Menicucci explicou à ONU que a execução orçamentária de 2011 foi um pouco superior à de 2010 - R$ 78 milhões, ante R$ 75,8 milhões. Segundo a ministra, a verba da pasta e dos programas foi complementada por emendas e por recursos de outros ministérios.

A questão foi levantada pela perita Violeta Neubauer. "Sem dinheiro, não se pode implementar as políticas anunciadas. Dizer que o dinheiro foi complementado de outra forma não é uma resposta satisfatória." / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.