Perillo teria pedido reunião com Cachoeira

Flagrado em escuta da PF, ex-vereador Garcez fala do interesse do governador em 'bater um papo' com contraventor

O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2012 | 03h08

Gravações feitas pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo mostram um dos integrantes do grupo de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, supostamente intermediando uma reunião entre o contraventor e o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). O pedido do encontro teria partido do governador.

Na conversa, interceptada pela PF em abril do ano passado e divulgada anteontem pelo Jornal Nacional, da TV Globo, o ex-vereador de Goiânia, Wladimir Garcez, considerado o braço direito do contraventor, fala do interesse de Perillo em "bater um papo" com Cachoeira. "Nós vamos sentar, bater um papo, quero conversar com ele", teria dito o governador, segundo relato de Garcez ao contraventor.

No diálogo, Cachoeira questiona em seguida: "Ele quer que eu olhe para ele o quê?" Garcez, então, repete o que Perillo teria lhe dito: "É uma coisa que eu quero conversar com ele (Cachoeira), é porque eu confiei nele." Cachoeira conclui: "Excelente."

Na segunda-feira, o Jornal Nacional já havia divulgado áudios em que Carlinhos Cachoeira fala de nomeações no governo de Goiás. Marconi Perillo nega que o contraventor tenha influenciado sua gestão.

Encontros. Em entrevista ao Estado na semana passada, Perillo já havia dito ter recebido Cachoeira por quatro vezes no palácio do governo goiano. "Uma vez, para tratarmos de assuntos de interesse da indústria dele (farmacêutica), e três vezes em ocasiões festivas ou em jantares", afirmou o governador tucano. Ao Jornal Nacional, Perillo confirmou ter tido, a pedido de Cachoeira, uma audiência com o contraventor no início de 2011.

Três funcionários do governo de Goiás - entre eles a ex-chefe de gabinete de Perillo, Eliane Pinheiro - já foram afastados dos cargos por supostas ligações com Cachoeira. Ainda assim, o PSDB apoiou oficialmente a instalação da CPI para investigar a Operação Monte Carlo enquanto tenta blindar Perillo.

Em encontro em Curitiba anteontem, seis governadores do PSDB manifestaram apoio ao colega goiano. O presidente do partido, deputado Sérgio Guerra (PE), disse que o único político da oposição ligado a Cachoeira é o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.