Penas para o núcleo publicitário podem ir a 70 anos

As penas impostas pelo Supremo Tribunal Federal ao núcleo publicitário do mensalão devem ultrapassar 70 anos. Ontem, os ministros retomaram a dosimetria para o publicitário Ramon Hollerbach, ex-sócio de Marcos Valério de Souza, já condenado a mais de 40 anos de prisão.

O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2012 | 02h10

Por enquanto estão definidas penas totais de 25 anos de reclusão para Hollerbach. Mas os ministros não concluíram a dosimetria. Por uma das propostas em discussão, a soma das penas poderá totalizar 30 anos e a multa, mais de R$ 2 milhões. As punições serão estabelecidas para os crimes de corrupção, evasão de divisas, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e peculato.

Mas o total da pena do núcleo publicitário será ainda maior. Além da decisão sobre Hollerbach, que deve sair hoje, falta fixar as punições para Cristiano Paz, condenado por formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Passadas quatro sessões dedicadas à dosimetria de penas, o tribunal nem sequer completou as punições para 2 dos 25 condenados. Na fila estão os integrantes dos núcleos financeiro e político. Entre os condenados aguardando pena está o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, acusado pelo Ministério Público Federal de ter sido o mentor do esquema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.