Pena é exagerada, afirma advogado de Pizzolato

O advogado Marthius Sávio Cavalcante Lobato, que defende o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, reclamou ontem da pena imposta ao cliente. "Em comparação com outros condenados, as penas dele foram exageradas. Houve réu que movimentou muito mais dinheiro e recebeu pena menor por corrupção ativa, por exemplo", afirmou o advogado. "As penas não correspondem ao conteúdo do processo, não são equilibradas com as provas. Deveriam ser melhor dosadas." O advogado diz que vai analisar a possibilidade de tomar alguma medida para que a pena seja reformulada. "Por enquanto não defini o que fazer. Vou esperar a publicação do acórdão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.