Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Pegadinhas foram desnecessárias, sobretudo vindo do governador, diz Doria

Candidatos do PSDB e PSB protagonizaram momento mais quente do debate, quando França perguntou sobre precatórios

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2018 | 21h14

SÃO PAULO - O candidato ao governo do Estado do PSDB, João Doria, disse considerar "desnecessárias" as questões colocadas a ele pelo governador e candidato à reeleição pelo PSB, Márcio França, durante o debate promovido pelo Estado, TV Gazeta e Jovem Pan, neste domingo.

"Achei desnecessárias as pegadinhas, um debate como esse não é para fazer pegadinhas ou ofensas pessoais, sobretudo vindo de alguém que neste momento ocupa temporariamente o governo de São Paulo", disse o ex-prefeito da capital, após o fim do debate.

+ Candidatos ao governo de São Paulo defendem 'padrinhos' políticos em debate

Doria e França protagonizaram o momento mais quente do debate, quando o atual governador perguntou ao prefeito se ele sabia o volume de precatórios devidos pelo governo do Estado. A questão fez as claques dos dois candidatos se estranharem na plateia do estúdio. Doria ainda voltou, no quadro seguinte do debate, trazendo o que seria o montante correto: R$ 22 bilhões, e não R$ 23 bilhões, como dissera França.

Perguntado sobre como se sentiu sendo um dos principais alvos dos demais candidatos neste debate, o tucano disse considerar uma situação normal, dado que está na liderança nas pesquisas, junto com Paulo Skaf (MDB). "Eu preferiria que debatêssemos aqui as propostas de governo, mas faz parte esse arranca-rabo, até em partida de futebol tem", minimizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.