Pecados contemporâneos

Instituição cristã do século 6.º, os sete pecados capitais fizeram história na literatura, no teatro, na dança, no cinema e nas artes plásticas, mas saíram de moda. Não que a avareza, a gula, a luxúria, a ira, a inveja, o orgulho e a preguiça tenham caído em desuso, mas diante de todas as transformações dos tempos modernos, os pecados estão precisando de uma atualização.

NELSON MOTTA, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2012 | 03h07

Numa sociedade de consumo e abundância, a gula nem merecia ser pecado, muito menos capital. Porque provoca obesidade, colesterol alto e artérias entupidas. Não precisa de absolvição, só de dieta, exercício ou redução de estômago. Mas se for gula metafórica, como a de Wall Street, aí, sim, é um legítimo pecado capital. Como a gula dos políticos por verbas.

A ira, a menos que usada profissionalmente por lutadores do UFC, pode provocar reações violentas de suas vítimas, e enfartes, derrames e apoplexias fatais no irado. Além de pecado, leva à perda da razão e dos argumentos, impedindo a solução racional dos problemas.

A preguiça, a não ser associada ao roubo (que é pecado contra outro mandamento) ou ao gênio de Dorival Caymmi, é garantia de fracasso em qualquer atividade humana, inclusive a sexual.

O orgulho e a vaidade, no fundo, e na superfície, são o mesmo pecado, que hoje é chamado de narcisismo, atitude, excesso de autoestima. Numa sociedade que cultua a competitividade, o exibicionismo e a aparência física, é requisito social e profissional, pecado praticamente obrigatório.

A inveja, todo mundo sabe, é uma merda. Mas nem sempre: às vezes é o impulso para grandes conquistas de gente invejosa, mas talentosa, trabalhadora e determinada. Invejosos burros, vagabundos e incompetentes mascam suas frustrações como chicletes.

Como falar em avareza numa sociedade de consumo movida a juros? Mas a avareza de sentimentos, a indiferença, o cinismo, a intolerância, está liberada.

Pecado da carne, do desejo e do prazer, a luxúria segue movendo a vida. Para o bem e para o mal. Só que no homem é chamada de virilidade e na mulher de piranhice.

Os pecadores não precisam temer o castigo divino. Já vem incluído no pacote.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.