Pastor recebe passaporte diplomático

O Ministério das Relações Exteriores concedeu passaporte diplomático para o líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, Valdemiro Santiago de Oliveira, e a mulher dele, Franciléia de Castro Gomes de Oliveira. A decisão foi publicada ontem no Diário Oficial e, segundo o Itamaraty, não é privilégio do pastor. Outros líderes de igrejas também já receberam o documento, que dá direito ao uso de uma fila especial nos aeroportos, mas não dá imunidade diplomática.

LISANDRA PARAGUASSU / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2013 | 02h03

O sistema de concessão desses passaportes foi alterado em 2011, depois de revelado que os filhos e netos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinham o documento mesmo após sua saída do governo. Na época, a legislação dava ao ministro o poder de decidir quem poderia receber o passaporte. Uma portaria passou a restringir os casos que ficam sob a decisão do ministro e o então ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, concedeu o documento dias antes do final do governo de Lula.

No caso das igrejas, explica o Itamaraty, a fundamentação normalmente é a manutenção do trabalho delas no exterior - essa foi a explicação dada pela Igreja Mundial do Poder de Deus, que possui templos em 20 países além do Brasil. A emissão também está restrita a apenas duas pessoas por igreja e a validade máxima é de um ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.