Partido quita dívida de R$ 15 mi com a Coteminas

O PT firmou em 2008 um acordo com a Coteminas para quitar um débito de R$ 12 milhões com a empresa do então vice-presidente da República, José Alencar. A dívida era referente ao fornecimento de 2,75 milhões de camisetas que foram usadas na campanha eleitoral de 2004. No ano seguinte, a CPI dos Correios identificou um depósito de R$ 1 milhão feito pelo PT para a indústria têxtil com recursos não contabilizados nas contas do partido. O suposto pagamento por meio de caixa 2 operado pelo ex-tesoureiro Delúbio Soares, na esteira do escândalo do mensalão, gerou constrangimento ao vice-presidente e ao seu filho, Josué Gomes, presidente da empresa. A Polícia Federal investigou a operação financeira e Josué chegou a prestar depoimento. Sem esconder o incômodo com a situação, o empresário reiterou que só o PT poderia informar a origem do dinheiro recebido pela Coteminas, que agiu dentro da lei porque registrou o pagamento na sua contabilidade.

O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2012 | 02h03

Na época, o PT confirmou que não havia registro formal de nenhum pagamento à Coteminas. "Aquele episódio está fora da contabilidade do PT, não existe para nós. Foi da gestão anterior e como não faz parte das regras de prestação de contas da instituição o pagamento informal não há reconhecimento disso na contabilidade que foi apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral", reiterou o deputado federal Paulo Ferreira (PT- RS), ex-secretário nacional de Finanças do PT. Segundo ele, o partido está prestes a concluir o pagamento da dívida total. O débito foi renegociado por Ferreira e o então presidente do da legenda, Ricardo Berzoini, por R$ 15,5 milhões em 60 parcelas mensais.

O ex-secretário de Finanças do PT, que negociou diretamente com o filho de Alencar, porém, não se entusiasma com uma eventual filiação do empresário ao partido. "Acho que ele tem de aprender muito com o pai."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.