Partido de Kassab é o que mais recebe de construtoras

40% de todas as doações feitas por empresas do setor imobiliário foram parar nas mãos de vereadores do PSD

DANIEL BRAMATTI, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2012 | 02h04

O PSD, partido do prefeito Gilberto Kassab, recebeu 40% dos quase R$ 8 milhões que as empresas do setor imobiliário e da construção civil aplicaram na eleição para a Câmara Municipal de São Paulo.

Em segundo lugar no ranking de partidos beneficiados aparece o PT do prefeito eleito, Fernando Haddad, e, em terceiro, o PSDB de José Serra, candidato derrotado no 2.º turno. Os candidatos dos dois partidos receberam, respectivamente, R$ 1,8 milhão (22% do total) e R$ 1,3 milhão (17%).

O total de R$ 8 milhões se refere apenas às doações feitas diretamente aos candidatos. Muitas empresas optam por doar recursos a partidos e comitês conjuntos, que depois repassam os recursos a indivíduos. Com o intermediário entre as duas pontas, não é possível estabelecer o elo entre quem doa e quem recebe o dinheiro.

Lobby. Construtoras e incorporadoras se destacam como financiadoras de candidatos a vereador porque seu setor sofre impacto direto das decisões tomadas pela Câmara. Em 2013, os vereadores vão analisar a revisão do Plano Diretor Estratégico, tema sensível aos interesses do mercado imobiliário.

É o Plano Diretor que define quais bairros poderão ou não receber novos empreendimentos, como prédios residenciais e comerciais, e em que volume. Também estabelece espaços destinados a áreas verdes, regiões para projetos habitacionais e traçados para novas vias e futuras linhas de transporte coletivo.

Empreiteiras e empresas do mercado imobiliário alimentaram as campanhas de 186 candidatos à Câmara. Mais uma vez, PSD, PT e PSDB aparecem no topo do ranking, com 58, 49 e 45 integrantes, respectivamente.

Concentração. No total, 87 empresas do mercado imobiliário aplicaram dinheiro nas campanhas. Há grandes diferenças, porém, no peso de cada uma delas. As dez maiores doadoras foram responsáveis por mais da metade dos recursos injetados, segundo o balanço oficial entregue pelos candidatos ao Tribunal Superior Eleitoral.

A líder no ranking de doações foi a construtora UTC, com R$ 750 mil para cinco candidatos - o maior quinhão, de R$ 400 mil, foi para Jair Tatto (PT). A UTC foi seguida pelos grupos OAS (R$ 701 mil), WTorre (R$ 630 mil) e DP Barros Construção e Pavimentação (R$ 500 mil).

Os candidatos que mais receberam recursos do setor foram José Police Neto (atual presidente da Câmara, com R$ 478,5 mil) e Edir Sales (R$ 470 mil), ambos do PSD, seguidos por Andrea Matarazzo, do PSDB (R$ 430 mil).

Entre os 15 maiores beneficiados, dez foram eleitos, sendo quatro do partido de Kassab, dois do PT e dois do PSDB. / COLABOROU MÁRCIO DOLZAN, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.