Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Partido da Mulher terá homem como candidato a prefeito em Belo Horizonte

Policial militar é confirmado em convenção do PMB, sigla que afirma ter sido fundada a partir da ‘vontade inabalável de mulheres ativistas’

Leonardo Augusto, especial para o ‘Estadão’, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2020 | 18h28

BELO HORIZONTE – O Partido da Mulher Brasileira (PMB) decidiu lançar um homem na disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte na eleição 2020. Em convenção realizada na manhã desta quarta-feira, 16, a sigla homologou a candidatura de Cabo Washington Xavier na corrida pelo governo municipal. O escolhido do PMB tenta a criação de uma legenda, o Partido da Defesa Social (PDS), ainda sem assinaturas suficientes para ser fundado.

O PMB obteve o registro definitivo de legenda no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2015. Nas redes sociais, a legenda afirma ter nascido “da vontade inabalável de mulheres ativistas de movimentos sociais e populares que participam da vida política para o direito da cidadania”. Diz ainda que o partido “surgiu da força de vida radicado na experiência de mulheres progressistas”.

Para Entender

Candidatos a prefeito de Belo Horizonte nas eleições 2020; saiba quem são

O atual prefeito, Alexandre Kalil, aparece com ampla vantagem na corrida pela prefeitura de BH, segundo pesquisa Ibope; confira lista completa de nomes na disputa

Uma das referências do partido logo depois da sua criação também é do sexo masculino, o deputado federal Weliton Prado (PROS-MG), que foi filiado ao PMB entre 2015 e 2017. Ex-integrante do PT, e à época único parlamentar do PMB na Câmara dos Deputados, Weliton Prado se posicionou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016.

O candidato do PMB em Belo Horizonte tem 48 anos e é policial militar. Nas eleições de 2018 foi candidato a deputado federal pelo PPL e não se elegeu. A reportagem entrou em contato com o candidato e com o comando nacional do PMB. Ainda não houve, porém, retorno das mensagens enviadas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.