PARTIDO APOSTA EM POPÓ PARA REPETIR TIRIRICA

Palhaço não vai tentar reeleição, e PR acredita que ex-boxeador poderia puxar votos para sigla

JOÃO DOMINGOS / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2013 | 02h11

O secretário-geral do PR, deputado Valdemar Costa Neto (SP), quer usar a fama do ex-boxeador e colega de Câmara Acelino Popó (PP-BA) para repetir em 2014, em São Paulo, o fenômeno de votação do partido na eleição passada, quando o palhaço Tiririca obteve 1.353.820 votos. O hoje parlamentar Tiririca desistiu de concorrer à reeleição no próximo ano, e Valdemar acredita que Popó poderá ocupar a vaga de puxador de votos do PR paulista.

O convite a Popó envolve duas mudanças: a troca de domicílio eleitoral e de partido, pois o ex-boxeador foi eleito deputado pelo PP da Bahia.

"Fui procurado pelo deputado Valdemar (Costa Neto). Ele disse que o partido está à minha disposição em São Paulo. Ainda estou avaliando, porque teria de mudar de Estado e de partido", disse Popó ao Estado.

Costa Neto foi condenado a 7 anos e 10 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no processo do mensalão. Por isso, não gosta de aparecer. Atua apenas nos bastidores. Como agora, ao fazer o convite para que Popó se transfira para São Paulo e mude de partido.

Ao se eleger com a maior votação absoluta e proporcional na eleição passada, Tiririca carregou com ele os deputados Otoniel Lima (PRB), Vanderlei Siraque (PT) e Protógenes Queiroz (PC do B-SP), todos da base de apoio do governo. No ano passado, o PR tentou uma outra jogada com Tiririca: transformá-lo em candidato a prefeito de São Paulo. Mas o próprio deputado rejeitou a ideia por não ver futuro na disputa pelo Executivo.

Popó disse que, se optar por disputar a eleição por São Paulo, não terá problemas de adaptação. "No tempo em que eu era amador, lutava em São Paulo. Foi lá que comecei minha carreira", contou. Ele tem consciência de que não está ligado a nenhum Estado, mas ao País inteiro, por ter sido ídolo do boxe. "Acho que sou como o Tiririca, conhecido no Brasil todo", avaliou.

Popó contou ainda que foi convidado para entrar em outras legendas. Uma delas é o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, potencial candidato à Presidência da República no ano que vem. Também o chamaram para trocar de partido o PTB e o PSC. "Convite é o que não falta. Estou muito lisonjeado", disse Popó.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.