Dida Sampaio/AE
Dida Sampaio/AE

Parlamentares esticam feriado e Congresso fica vazio

Apenas 5 deputados e 4 senadores registraram presença no pós-feriado; presidentes da Câmara e do Senado também se ausentaram

Eduardo Bresciani, de O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2013 | 02h03

BRASÍLIA - O ditado popular diz que o ano só começa depois do carnaval, mas no Congresso a folga é ainda mais longa. Enquanto a maioria dos trabalhadores brasileiros retornou às suas atividades nessa quarta-feira, 13, Quarta-Feira de Cinzas, os parlamentares terão ainda mais alguns dias de folia antes de voltar ao ofício.

Câmara e Senado só têm votações previstas para a semana que vem. Até os novos presidentes das Casas, os peemedebistas Henrique Eduardo Alves (RN) e Renan Calheiros (AL), aproveitaram para esticar o feriado.

Não houve nem sequer sessão na Câmara na tarde de ontem. O deputado Izalci (PSDB-DF) era o único presente em plenário no início da tarde, às 14h, quando geralmente são abertos os debates. Ficou por cerca de 15 minutos e só então ficou sabendo que nem sequer havia convocação da sessão. Até as 18h, somente cinco dos 513 deputados tinham registrado presença. No Senado a sessão ocorreu, mas só para debates. Durante duas horas, apenas quatro parlamentares se revezaram em discursos na tribuna.

Como não houve votação, nenhum deputado ou senador terá desconto em seu contracheque de R$ 26,7 mil pelas faltas nessas primeiras três semanas do mês. A imagem do plenário deserto que se repetiu ontem foi mencionada por Henrique Eduardo Alves em seu discurso como candidato a presidente da Câmara. "Quantas vezes eu vi uma foto que se tirava dali, mostrando o plenário vazio, uma cabeça sentada aí, o corpo erguido aqui e o plenário vazio. Era uma segunda-feira ou uma sexta-feira. Era a imagem de que deputado não trabalhava. Injusta! Inaceitável! E os senhores sabem o trabalho que têm e que eu tenho nos finais de semana nas comunidades, nos sindicatos, nos municípios", disse ele na ocasião. Nessa quarta, a assessoria de Alves informou que o deputado está no exterior com a família e só retorna segunda-feira. Renan Calheiros (PMDB-AL), por sua vez, faz turismo no Rio Grande do Sul até o fim de semana.

"Acho tudo isso muito estranho. Temos o Orçamento de 2013 e mais de 3 mil vetos para votar", reclamou o deputado Izalci. "Isso acontece historicamente todos os anos", observou o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA).

Tudo o que sabemos sobre:
congressocarnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.