José Fernando Ogura/ ANPr
José Fernando Ogura/ ANPr

Paraná: conheça os prováveis candidatos a governador nas eleições 2018

Sete partidos já definiram seus pré-candidatos para a disputa pelo Governo estadual; veja os nomes

Igor Moraes, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2018 | 11h37

Desde abril, quando Beto Richa renunciou ao cargo de governador do Paraná no final de seu segundo mandato para se candidatar ao Senado, o PSDB não definiu nenhum nome para concorrer ao Palácio Iguaçu nas eleições 2018.  Até o momento, os tucanos seguem sem pré-candidato próprio.

++ Eleições 2018: conheça os pré-candidatos à Presidência da República

Apesar disso, nomes ligados a Richa devem entrar na disputa pelo Governo neste ano. Além da ex-vice e atual governadora Cida Borghetti (PP), o ex-secretário estadual Ratinho Júnior (PSD) também deverá ser um dos candidatos.

Pelo menos sete partidos já definiram seus pré-candidatos, que ainda precisam ser oficializados nas convenções partidárias que acontecerão entre os dias 20 de julho e 5 de agosto, segundo o calendário definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Conheça abaixo os prováveis candidatos a governador do Paraná nas eleições 2018:

 

Cida Borghetti (PP)

Esposa do ex-ministro da Saúde Ricardo Barros, a atual governadora do Paraná deverá tentar a reeleição em outubro. Cida Borghetti está no comando do Estado desde 6 de abril, quando o então governador Beto Richa deixou o cargo para se candidatar ao Senado. A governadora mantém negociações com DEM, PSB, PTB, PROS, PMB, PMN para apoio nas eleições 2018. O PSDB, apesar de ainda não confirmar oficialmente, também poderá estar na coligação de Cida Borghetti em outubro.

++ No Paraná, uma eleição sob o espectro da Lava Jato

Ratinho Júnior (PSD)

O filho do apresentador do SBT é o pré-candidato do PSD para governador do Paraná nas eleições 2018. Eleito o deputado estadual paranaense mais votado em 2014, Ratinho Júnior foi secretário de Desenvolvimento Urbano do ex-governador Beto Richa até setembro de 2017. O parlamentar também já foi eleito deputado federal em 2002, pelo PSB, e 2006, pelo PSC. Em 2012, ainda pelo PSC, foi derrotado no segundo turno da eleição para prefeito de Curitiba. Para as eleições deste ano, Ratinho Jr. negocia apoio com PSC, PRB e PR.

Osmar Dias (PDT)

Segundo colocado nas eleições para governador do Paraná em 2006 e 2010, o senador Osmar Dias deverá ser novamente candidato ao cargo. O nome do parlamentar deverá ser confirmado na convenção estadual do PDT marcada para o dia 21 de julho. Para as eleições de outubro, o partido negocia alianças com o Solidariedade, o PPS e o MDB. O PDT paranaense também deverá contar com o apoio do Podemos, sigla do presidenciável Álvaro Dias, também senador pelo Estado e irmão de Osmar.

++ O que os presidenciáveis pensam sobre a Reforma da Previdência?

Apesar de integrar o partido de Ciro Gomes, Osmar Dias já comunicou o presidenciável do PDT que apoiará a candidatura de seu irmão ao Planalto.

Dr. Rosinha (PT)

O PT deverá ter seu presidente estadual no Paraná, Dr. Rosinha, como candidato a governador nas eleições 2018. Ex-vereador de Curitiba, ex-deputado estadual e ex-deputado federal, Rosinha pretende ter o apoio do PCdoB para tentar garantir, no pleito de outubro, um desempenho melhor do que o partido conseguiu nas últimas eleições. Com a senadora Gleisi Hoffmann como cabeça de chapa, o PT ficou no terceiro lugar na disputa para o Governo paranaense em 2014, com pouco menos de 900 mil votos. 

Professor Piva (PSOL)

Ex-vereador da cidade de Almirante Tamandaré, Luiz Romeiro Piva, o Professor Piva, é a aposta do PSOL para a corrida ao Governo paranaense em 2018. Em 2014 e 2010, Piva foi candidato ao Senado e, em 2006, a prefeito de Almirante Tamandaré. Neste ano, o PSOL contará com o apoio do PCB.

Geonísio Marinho (PRTB)

O presidente estadual do PRTB no Paraná deverá ser novamente candidato a governador do Estado. No pleito de 2014, ele ficou em sétimo lugar, com pouco mais de 7 mil votos, o equivalente a 0,12% dos votos válidos. Para chegar mais forte na corrida eleitoral deste ano, Geonísio Marinho aposta no resgate da “velha educação” e negocia apoio com PSDC, PTC e PRP.

Jorge Bernardi (Rede)

O ex-vereador de Curitiba por sete mandatos deverá ser o nome da Rede para a eleição ao Governo paranaense. Neste momento, a tendência é que a candidatura de Jorge Bernardi não conte com apoio de outros partidos, o que deve dificultar que seu nome seja competitivo no pleito de outubro. Mesmo assim, a participação nas eleições estaduais cumprirá uma missão importante para a Rede: garantir um palanque para a presidenciável Marina Silva no Estado.

Roberto Requião (MDB)

Ex-governador do Paraná, o senador Roberto Requião chegou a ser apontado como um dos nomes possíveis, mas não deverá ser candidato ao cargo novamente este ano. A tendência é que o parlamentar do MDB apoie a candidatura do pedetista Osmar Dias nas eleições estaduais e, a partir desta coligação, se lance novamente ao Senado. Também existe a possibilidade de Requião disputar a convenção nacional do MDB, como postulante à Presidência da República, para estabelecer uma espécie de contraponto à candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles ao Planalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.