Para tucano, Lupi 'desmoraliza a democracia' se ficar

O presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra, afirmou ontem, no Recife, que a manutenção de Carlos Lupi (PDT) no Ministério do Trabalho, depois da recomendação de sua exoneração pela Comissão de Ética Pública da Presidência da República, "desmoraliza a democracia e as instituições".

O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2011 | 03h02

Para Guerra, Lupi já devia ter saído "muito antes dessa situação de constrangimento geral para ele, para o partido dele, para a democracia, para o governo, para as instituições".

Segundo o líder tucano, "pessoas que sofrem acusações duras e não conseguem responder com brevidade, com eficácia, devem sair e dar explicações fora do governo". Guerra também criticou o modelo de loteamento dos ministérios com partidos políticos. "O ministro dos Esportes tem que ser dos Esportes e não do PC do B (referindo-se a Orlando Silva, também alvo de denúncias), o do Trabalho tem que ser do Trabalho e não do PDT".

Ele fez as declarações durante o 1º Encontro Nacional do Núcleo Sindical do PSDB, realizado em um hotel no bairro de Boa Viagem, zona sul da cidade./

ANGELA LACERDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.