Para Temer, indicações políticas na Petrobrás diminuíram com Dilma

Para Temer, indicações políticas na Petrobrás diminuíram com Dilma

Presidente do PMDB e aliado do PT disse que seu partido não participou das indicações para cargos na petroleira

Mateus Coutinho e Carla Araújo, O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2014 | 18h03

 Em sua participação na série Entrevistas Estadão, o candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff, Michel Temer afirmou que a não houve participação do PMDB nas indicações aos cargos na Petrobrás e disse que a responsabilidade sobre os "problemas" que existiram na empresa precisa "ser compartilhada". Ele afirmou ainda que indicações política para cargos nas estatais "diminuíram muito" durante o governo Dilma.

O vice-presidente rebateu ainda as declarações da oposição de que a Petrobrás perdeu valor de mercado. "Eu não tenho esses dados, os dados que eu tenho mostram o crescimento da empresa", disse.

Ao ser questionado sobre a responsabilidade do PMDB no setor elétrico, cujo ministério está nas mãos de Edison Lobão (PMDB) Temer diminui a responsabilidade da sigla sobre os problemas na área. "A participação na área de energia diminuiu sensivelmente, isso não é uma queixa é mera constatação", afirmou.

Os repórteres, então insistem no assunto e questionaram sobre as responsabilidades de Edison Lobão, mas Temer afirmou que o ministro não tem "controle geral". "Formalmente ele (Lobão) é o responsável, mas na realidade ele não tem o controle geral". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.