Para secretário,valor pago no RS não mudará

O Secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, Odir Tonollier, disse ontem que a mudança do indexador para a Selic, que está sendo sugerida pela União, não causará impacto a curto e médio prazos para o Estado. "Continuaremos pagando os 13%, cerca de R$ 2,5 bilhões anuais, o mesmo valor que já pagamos. Mas a notícia é positiva. É algo que os Estados há tempo estavam pedindo para o governo, porque ela estrutura melhor a dívida", avalia.

O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2012 | 03h08

Tonollier diz que os Estados que têm parcela abaixo de 13% devem ser beneficiados diretamente com a medida. "Mas quem está limitado aos 13%, que é o nosso caso, não verá reflexo. Não haverá, para nós, redução nas parcelas mensais, mas, sim no impacto do que falta para pagar daqui para frente. O impacto vai acontecer após 2027, mas vai depender do comportamento da Selic nesse período", diz.

A dívida pública do RS é de R$ 43,2 bilhões. Em 1997, este valor era de R$ 11 bilhões. "A maior parcela da dívida pública do RS, 91,2%, ou R$ 37 bilhões, resulta do processo reestruturação da dívida dos Estados, empreendido no ano de 1997." / LUCAS AZEVEDO, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.