Para platéia, Maluf precisa parar de falar do passado

Participantes da sabatina do 'Estado' criticam candidato do PP por não apresentar novas propostas para SP

Giuliana Vallone, do estadao.com.br,

04 de setembro de 2008 | 16h53

O candidato do PP à Prefeitura de São Paulo, Paulo Maluf, precisa falar mais de propostas para o futuro e deixar um pouco o passado de lado, segundo os participantes da sabatina realizada pelo Grupo Estado nesta quinta-feira, 4.  O vídeo da sabatina pode ser visto na TV Estadão (clique aqui). Veja também:Especial: Perfil de Paulo Maluf Maluf diz que é perseguido e explica 'Estupra, mas não mata'Para Maluf, carro parado é o que causa poluição em São PauloApesar das críticas a Marta, Maluf elogia CEUs e bilhete únicoMaluf diz que constuirá mais Cingapuras e defende volta do PASVeja galeria de fotos da sabatina  Blog: confira as principais declarações de MalufVeja gráfico com a última pesquisa Ibope/Estado/TV GloboVereador digital: Conheça os candidatos à Câmara de SP As regras para as eleições municipais  Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro  "É alguém que não apresenta propostas, só fala do passado", disse o estudante de Relações Internacionais da PUC-SP, Edgar Benozoti. "Ele fala muito das coisas do passado", concordou Rosely Martins, secretária. "Faltam propostas. Mas eu acho ele bem cativante."  O sociólogo José Luiz Martins, que também assistiu à sabatina, comentou o número de processos contra o candidato, mas afirmou que "como ele (Maluf) mesmo disse, isso é do meio em que ele vive, e não o atingiu até hoje". Para Benozoti, porém, a questão é mais séria. "Agora que ele tem poucas chances de ser eleito a gente dá risada, mas acho bastante complicado, porque é um cara que tem vários questionamentos na Justiça", disse.  Propostas Para o estudante, os candidatos precisam ser mais claros sobre suas propostas, no caso de serem eleitos. "Eu gostaria realmente que eles falassem de educação, de quais são os planos concretos para o tema, que é tão importante para a cidade", disse. Ele, que assistiu a todas as sabatinas realizadas nesta semana - com os candidatos do PT, PSDB, DEM e PP -, afirmou que o prefeito Gilberto Kassab (DEM) foi quem mais o agradou. "Kassab foi uma surpresa boa. Ele foi bastante claro, falou de suas propostas", disse. Apesar de ter gostado das propostas apresentadas por Maluf, Martins afirmou que falta hoje na sociedade uma cobrança maior sobre os candidatos eleitos. "O político promete, mas não tem ninguém que cobre. Essa cobrança deveria ser efetuada através de um processo mensal, ou de uma associação que representasse o povo, e que levasse a ele as informações de como as coisas estão sendo encaminhadas", defendeu. O candidato do PP a vereador Armando do Brás, que também assistiu à participação de Maluf, seu colega de partido, na sabatina do Estado, afirmou que o evento foi importante "para dar condições ao público de saber quem é o candidato", além de deixar que ele mostre seus conhecimentos às pessoas.  Na série de sabatinas do Grupo Estado, Marta Suplicy (PT) foi a primeira. Geraldo Alckmin (PSDB) e o atual prefeito, Gilberto Kassab (DEM), deram seqüência. Paulo Maluf (PP) foi o quarto. Em seguida, serão entrevistados Soninha Francine (PPS), na sexta, e Ivan Valente (PSOL), na segunda, dia 8. Todos respondem a perguntas e apresentam suas propostas para as principais áreas da cidade. Logo após a transmissão, os vídeos das sabatinas podem ser vistos no estadao.com.br.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008Paulo MalufPP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.