Para petista, doação de área não afeta eleição

O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, tentou desvincular a cessão de um terreno municipal para o Instituto Lula das eventuais negociações em torno de uma aliança com o PSD, partido do prefeito Gilberto Kassab.

DAIENE CARDOSO, AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2012 | 03h05

De acordo com o petista, a concessão do espaço não vai interferir na discussão da eventual composição entre PT e PSD nas eleições municipais, acordo que tem o aval do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "De maneira nenhuma. Não tem nada a ver uma coisa com outra", afirmou ontem, após reunião com parte de seu conselho político, na sede do diretório nacional do PT.

O petista defendeu o direito de ex-presidentes de exporem o seu acervo da época de governo à população. Ele lembrou que, em países desenvolvidos, há uma tradição de se expor documentos e objetos de ex-mandatários em universidades.

No encontro de ontem, Haddad discutiu os principais eixos de sua futura plataforma de campanha eleitoral e anunciou que, a partir da semana que vem, deve começar a rever os planos de governo apresentados nas duas últimas eleições do PT em São Paulo, em 2008 e em 2010.

Na próxima semana, o ex-ministro da Educação pretende ainda se encontrar com movimentos sociais para discutir as demandas desses grupos e, principalmente, ouvi-los sobre a possibilidade de aliança com o PSD.

Haddad foi novamente questionado sobre a ausência da senadora Marta Suplicy (PT) em sua pré-campanha. Mais uma vez, o ex-ministro enfatizou que contará com a ajuda da petista: "É um equívoco imaginar que a nossa senadora não estará fortemente na nossa campanha."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.