Para oposição, nota tem 'conteúdo desesperado'

Os presidentes dos partidos de oposição reagiram à nota emitida pelos líderes das legendas da base governista. O presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), afirmou que a nota é uma "reação às pesquisas", que mostrariam o PT mal posicionado eleitoralmente pelo País.

O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2012 | 03h08

"Eles precisam encontrar uma maneira melhor de defender o PT, que está mal nos números", disse. "É um conteúdo desesperado, sem pé nem cabeça", completou. Para o tucano, o PT enfrenta problemas nas campanhas de São Paulo, Recife, Fortaleza, Salvador e Belo Horizonte.

O presidente do DEM, senador José Agripino (RN), disse que os partidos da base estão procurando "uma desculpa" para o silêncio de Lula diante das declarações atribuídas pela revista Veja ao empresário Marcos Valério. "O que estamos vendo é o efeito do mensalão sobre o PT, quem tem de ser acusado são os acusados envolvidos no delito." Na sua opinião, os partidos governistas deveriam é divulgar uma nota quebrando o silêncio de Lula com relação à acusação. "Seu silêncio torna-se cada vez mais ensurdecedor."

Para o presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), não há cabimento em se falar em golpe "com as instituições funcionando plenamente a a alta Corte de Justiça julgando". No seu entender, os dirigentes dos partidos que assinam a nota pecam ao não cobrar explicações de Lula.

O candidato do PSDB à Prefeitura, José Serra, também comentou a nota. "Houve uma reportagem publicada, tem aspas, (então) certamente existem gravações. Seria interessante que essas gravações viessem à tona", disse, sobre as declarações atribuídas a Valério por Veja. / J.D., BRUNO BOGHOSSIAN e ROSA COSTA

Tudo o que sabemos sobre:
mensalaoLulaPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.