Para o partido, perda de mandato é decisão da Câmara

O PT avalia que cabe à Câmara dar a última palavra sobre a perda do mandato dos parlamentares condenados pelo Supremo Tribunal Federal. Em reunião do Diretório Nacional do PT, ontem, petistas criticaram o que definiram como "excessos" da Corte.

O Estado de S.Paulo

08 de dezembro de 2012 | 02h02

Se o Supremo decidir que cabe à Justiça decretar a cassação, o deputado João Paulo Cunha (SP) perderá o mandato e o suplente José Genoino não poderá assumir a vaga em janeiro de 2013. "Estamos falando de competência, de quem é eleito para julgar. É uma decisão política. Quem julga mandatos somos nós, que estamos no Congresso", disse a deputada Benedita da Silva (PT-RJ). "Se o Supremo for pela linha de requerer a perda imediata do mandato, avalio que a presidência da Câmara e a mesa diretora não concordarão", afirmou em São Paulo o líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.