Estadão
Estadão

Para Marta, Russomanno pode 'esfarelar' até o dia da votação

Pesquisa Ibope divulgada na noite desta terça-feira, 23, coloca o candidato do PRB na liderança, com 33% das intenções de votos em São Paulo, mas, segundo a peemedebista, isso não o coloca no segundo turno

Valmar Hupsel Filho, O Estado de S.Paulo

24 Agosto 2016 | 14h08

SÃO PAULO - A candidata do PMDB à prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, disse na manhã desta quarta-feira, 24, que o resultado da pesquisa Ibope divulgada na véspera não garante Celso Russomanno (PRB) no segundo turno. Para a peemedebista, o candidato do PRB pode "esfarelar" até o dia da votação.

"Vai ver ele vai esfarelar, não sei", disse ela após visitar o Mercado Municipal, cuja reforma é uma das bandeiras de sua administração."Não está nada certo e quem vai estar no segundo turno", completou a candidata.

Pesquisa Ibope divulgada na noite desta terça-feira, 23, coloca Russomanno na liderança com 33% das intenções de votos. Marta aparece em segundo com 17%. A terceira posição é dividida em empate técnico entre o prefeito e candidata à reeleição Fernando Haddad (PT), Luiza Erundina (PSOL) e João Doria (PSDB). Os três marcam 9%.

Em 2012, quando também se candidatou à prefeitura, Russomanno liderou as pesquisas de intenção de votos até uma semana antes da votação do primeiro turno, mas perdeu pontos de forma vertiginosa e nem chegou ao segundo turno.

Reação. Russomanno disse que recebeu com alegria "mas com pé no chão" os dados da pesquisa Ibope que o coloca em primeiro lugar com 33% das intenções de votos, 16 pontos a mais que a segunda colocada, Marta Suplicy (PMDB), que registrou 17%. "Fico feliz, mas com muito pé no cão como se fosse o último colocado. Isso só me faz querer trabalhar com mais afinco", disse. 

Russomanno ainda reagiu com ironia a afirmação que Marta fez sobre seu desempenho na campanha. "Minha resposta é a seguinte forma: gosto muito dela e desejo boa sorte a ela", disse Russomanno. Em situação confortável nas pesquisas, Russomanno tem evitado polêmicas e o  embate direto com seus concorrentes. 

Campanha. Segundo Marta, numa campanha curta como a deste ano, ela tem a vantagem de já ter sido prefeita e os eleitores lembrarem de marcas de sua administração. "Todo mundo sabe o que fiz na cidade. Se eu começo a andar as pessoas me agradecem o Bilhete Único, agradece o CEU, a reforma (do Mercado Municipal). Neste sentido é uma vantagem ter sido prefeita."

Marta citou a situação de abandono na região e afirmou que pretende criar programas de qualificação para criar oportunidades a jovens empreendedores. "Vamos criar o Banco do Povo para aquela senhora que está fazendo empadinha ou quem quer comprar uma caixa de ferramenta para consertar bicicleta. As pessoas precisam de ajuda para conseguir se levantar nessa crise, e nós vamos ajudar".

Acompanhada de seu vice, o vereador Andrea Maratazzo (PSD), Marta circulou pelo Mercado Municipal. Durante a visita, conversou com vendedores e clientes, para quem fez críticas à atual administração e exaltou feitos de sua gestão. De um deles, recebeu uma foto de uma visita que fez ao local em 2002.

Ao comer o tradicional sanduíche de mortadela, Marta alfinetou o candidato do PSDB, João Doria, que na semana passada pediu para não ser fotografado quando tivesse comendo em agendas públicas. "Pode fazer foto à vontade. Para mim não tem problema algum", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.