Para Marta, fala de Serra é de quem 'quer ser candidato'

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) rebateu com ironia a declaração do ex-governador José Serra (PSDB-SP) de que a sua candidatura seria mais forte para o PT do que a do ministro Fernando Haddad (Educação). "É uma posição do José Serra, que quer ser candidato", afirmou ontem, após participar do evento "+Mulher 360", em São Paulo.

GUSTAVO URIBE / AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2011 | 03h05

Na segunda-feira, José Serra criticou a senadora petista, que desistiu de sua pré-candidatura para concorrer à Prefeitura de São Paulo nas eleições do ano que vem. "Eu achava a Marta uma candidata fortíssima do PT. Era a mais forte. Eles não optaram pela candidata mais forte", afirmou o tucano, durante participação em um seminário do PSDB no Rio.

Apoio. Marta também negou ontem a possibilidade de anunciar apoio a um dos nomes do PT cotados à Prefeitura antes da definição partidária sobre o candidato da sigla na disputa de 2012. As prévias estavam marcadas para o dia 27, mas serão canceladas com a desistência dos deputados federais Jilmar Tatto e Carlos Zarattini, até então os dois últimos pré-candidatos do PT à Prefeitura de São Paulo que insistiam em disputar a prévia com Haddad. A renúncia dos dois deve ser formalizada amanhã.

"Não, (apoio) só depois de escolhida a pessoa", respondeu Marta ao ser questionada se anunciaria apoio a algum dos três pré-candidatos do partido. "Isso é uma decisão partidária."

Marta disse que ainda não foi procurada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para discutir um apoio formal à pré-candidatura do ministro Fernando Haddad.

O ex-presidente Lula havia dito que se reuniria nesta semana com a senadora em almoço no Instituto Lula, na capital. Mas os efeitos colaterais da primeira sessão de quimioterapia a que foi submetido no tratamento contra um câncer na laringe impediram que Lula cumprisse agenda nos últimos dias, apesar de ele manter as articulações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.