Para Kassab, tirar proveito de episódios policiais é 'equívoco'

Não há quem possa ficar feliz com episódios como esses, diz Kassab sobre tragédia em Santo André

Ana Paula Scinocca, do O Estado de S. Paulo

18 de outubro de 2008 | 15h03

Afilhado político do governador José Serra (PSDB), o prefeito e candidato à reeleição pelo DEM, Gilberto Kassab, disse neste sábado (18) que quem tentar tirar proveito dos episódios envolvendo a polícia paulista - confronto entre policiais civis e militares e a tragédia resultante do seqüestro em Santo André - está "equivocado".  "Não há quem possa ficar feliz com episódios como esses. Se alguma candidatura quiser tirar proveito, vai cometer um grande equívoco", afirmou Kassab, depois de participar de uma caminhada pelo Mercado Municipal, região central de São Paulo, no final da manhã. Para o prefeito, o papel de brasileiros, paulistas e paulistanos nesses casos é o de ajudar a encontrar uma solução. "O papel não é o de torcer para o quanto pior, melhor", destacou. Em uma rápida caminhada pelo mercado, que durou apenas 20 minutos, Kassab posou para fotografias carregando crianças e comemorou o resultado da mais recente pesquisa Datafolha, divulgada na sexta, na qual ele aparece 16 pontos à frente de sua adversária no segundo turno, a petista Marta Suplicy. Segundo o levantamento, Kassab tem 53% das intenções de voto, contra 37% de Marta.  "Estamos felizes com o resultado", festejou o prefeito, negando, porém, que já se considere reeleito. "De maneira alguma. Seria um desrespeito com o eleitor. Estamos felizes, mas a eleição só ocorre no dia 26", afirmou, referindo-se à data do segundo turno. Para Kassab, a pesquisa mostrou que a propaganda agressiva da adversária contra ele não agregou votos. Desde o início da horário eleitoral gratuito no segundo turno, domingo passado, Marta vinha explorando em inserções no rádio e na TV a vida pessoal de Kassab. "A propaganda não contribuiu em nada com as discussões dos problemas da cidade. Está desvinculada", observou. O teor das propagandas petistas levou o DEM a conseguir junto à Justiça Eleitoral, até hoje, 13 direitos de resposta, segundo o Tribunal Regional Eleitoral paulista (TRE-SP). Neste segundo turno, DEM e PT têm travado uma guerra na Justiça. Enquanto a campanha petista ingressou com 53 representações contra Kassab, a campanha do prefeito protocolou 29 ações contra a ex-ministra do Turismo. ÚLTIMA HORAA visita de Kassab ao Mercado Municipal, neste sábado (18), foi acertada de última hora. O prefeito deveria ter feito uma caminhada na região central da cidade, mas teve de interromper os planos por causa da chuva que atingiu São Paulo e deixou a cidade em estado de atenção. "A chuva atrapalhou um pouquinho, então viemos fazer essa caminhada aqui", explicou o próprio Kassab. Sua agenda para a parte da tarde, porém, foi mantida. O prefeito se encontraria com um grupo de mulheres na Liberdade, também na região central.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2008Gilberto Kassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.