Para Haddad, erro do PSDB é 'sentar na cadeira' antes da hora

Prefeito de São Paulo criticou fato de tucano Aécio Neves ter indicado durante a campanha Armínio Fraga para ministro da Fazenda

Carla Araújo e Luiz Guilherme Gerbelli, O Estado de S. Paulo

20 de outubro de 2014 | 22h16

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), afirmou nesta segunda-feira que o PSDB cometeu um erro ao nomear ministros antes do resultado da eleição. Haddad lembrou da eleição de Fernando Henrique Cardoso, em 1985, que "sentou na cadeira" antes de ser eleito prefeito de São Paulo.

"Para a nossa surpresa, quem ele disse que nomearia, se fosse eleito, é o mesmo que presidiu do Banco Central no governo Fernando Henrique Cardoso. Que triste memória porque só tinha juro, inflação, e desemprego nesse País", afirmou Haddad. Aécio Neves (PSDB) já disse que Armínio Fraga será o ministro da Fazenda, no caso de vitória. Aécio chegou a declarar que nomearia outros ministros durante a campanha, mas voltou atrás na semana passada.

Haddad também destacou o aumento do número de estudantes universitários e o crescimento do mercado de trabalho. "Não podemos permitir que o ensino superior seja de uma elite", disse. "Será que o que incomoda o candidato do PSDB é o fato de que essa dupla gerou 21 milhões de emprego?", perguntou o prefeito de São Paulo. Haddad discursou no evento Periferia com Dilma, ao lado do ex-presidente Lula e da Dilma, em Itaquera, zona leste da capital paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.