Para FH, nome natural ao Planalto é o de Aécio

Ex-presidente deu declaração em entrevista a revista inglesa; ele previu luta interna forte no PSDB, mas não descartou hipótese de Serra concorrer

BRUNO BOGHOSSIANESTADÃO.COM.BR, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2012 | 03h11

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso apontou o senador mineiro Aécio Neves como "candidato natural" do PSDB à Presidência em 2014. Em entrevista à revista britânica The Economist, FHC previu, no entanto, uma "luta interna muito forte" entre Aécio e o ex-governador de São Paulo, José Serra, pela indicação do partido nas eleições nacionais.

O ex-presidente destacou que o PSDB precisa de unidade para escolher o nome que disputará a Presidência pelo partido. Questionado sobre quem seria o "candidato natural", FHC respondeu sem rodeios: "Aécio Neves".

Ele conversou com a jornalista Helen Joyce no dia 12 de janeiro, antes do anúncio de Serra de que não concorreria à Prefeitura da capital paulista para e dedicar a um projeto nacional. A entrevista foi publicada no site da revista, conforme antecipou ontem o estadão.com.br.

O presidente de honra do partido não retira Serra da disputa, mas indica que o ex-governador pode desistir para promover a renovação da sigla. FHC chega a compará-lo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi derrotado três vezes nas urnas, mas se manteve na disputa à Presidência até ser eleito, em 2002.

"O ex-governador Serra desempenha o papel do Lula: ele tem coragem, ele gosta de competir. Eu não sei até que ponto ele vai estar convencido de que isso não é para ele, de que deve abrir espaço para os outros", avalia Fernando Henrique.

Já a participação do governador paulista Geraldo Alckmin na disputa nacional de 2014 foi praticamente descartada por FHC.

O ex-presidente criticou a campanha tucana à Presidência em 2010, quando Serra foi derrotado por Dilma Rousseff no 2º turno. Ele afirmou que "o PSDB cometeu erros enormes" e insinuou que o fracasso se deveu ao isolamento de Serra no partido.

Perguntado pela jornalista se o partido conseguiria vencer com o mesmo candidato, Serra, FHC foi reticente: "Talvez não".

O ex-presidente acredita que Aécio tem forças para vencer.

"Aécio é de uma cultura brasileira mais tradicional, mais disposta a estabelecer alianças. Ele tem apoio em Minas Gerais. São Paulo não é assim, é sempre dividido, é muito grande", disse.

Aliados do senador mineiro comemoraram a avaliação de FHC na entrevista. Eles acreditam que o ex-presidente pode ajudar o partido a se unir em torno da candidatura de Aécio.

"Hoje, nove entre dez tucanos olham para o futuro e veem a cara do Aécio", afirma o presidente do PSDB-MG, Marcus Pestana.

O senador Aloysio Nunes Ferreira (SP) reconhece a influência de Fernando Henrique nas decisões partidárias do PSDB, mas avalia que o nome do candidato do partido para 2014 deve ser definido por prévias. "Eu acho que (Aécio) ainda não é um candidato natural. Precisamos de uma escolha com legitimidade para cimentar uma união em torno dela", diz. O Estado pediu a José Serra um comentário sobre a entrevista de FHC, mas não houve resposta até o fechamento desta edição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.