Para construtora, há 'equívocos' nos valores

O Ministério da Integração Nacional informou que a maioria das irregularidades foi considerada "danosa em potencial". Em nota, informou que elas não chegaram a se concretizar, pois a pasta não celebrou os aditivos com base nas propostas consideradas nocivas.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2012 | 03h07

Segundo a nota, as providências para atendimento das recomendações da CGU estão sendo tomadas, entre elas processos administrativos que podem gerar punições à Delta pela paralisação da obra. "Alguns processos investigativos já estão em fase de conclusão", afirma a nota, destacando que o trâmite dos processos demanda "razoável duração de tempo", para dar aos investigados a oportunidade de defesa e "promover análise técnica e jurídica de contestações". Segundo o ministério, eventuais gastos para recuperar danos na obra terão de ser cobertos pela Delta.

A construtora informou estranhar as constatações da auditoria e alegou que há equívocos nos valores levantados pela CGU. Sustentou não haver sobrepreço ou dissonâncias nos valores da obra. Afirma que projetos básicos, apresentados antes do início dos serviços, são passíveis de modificações. / F.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.