Para aparecer na Globo, capricho nas imagens

Emissora começa cobertura e mobiliza candidatos

O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2012 | 03h05

No dia em que a TV Globo começou a cobertura diária da campanha eleitoral, candidatos à Prefeitura de São Paulo decidiram "jogar em casa": apostaram em agendas positivas ou em redutos de seus partidos. Tudo para estrear bem na emissora de maior audiência.

O tucano José Serra convidou o governador Geraldo Alckmin para acompanhá-lo em visita a um instituto de reabilitação no Morumbi, zona sul. O petista Fernando Haddad fez caminhada em Cidade Tiradentes, zona leste, com direito a discurso em carro de som.

Ao optarem por atos em regiões como o Morumbi, predominantemente tucana, e a zona leste, onde o PT tem mais força, os dois candidatos também tiveram o cuidado de não se afastar da segurança dos seus redutos eleitorais tradicionais.

Diante das câmeras da Globo, Serra fez questão de interromper suas entrevistas sempre que a voz falhava ou algum barulho atrapalhava a gravação. Foi assim quando tossiu durante uma resposta e quando a buzina de um caminhão cobriu sua fala. "Os programas de rádio e jornais de TV acabam sendo mais importantes que o horário eleitoral, porque não têm ensaio. Os jornalistas é que escolhem as pautas e as perguntas, então tem um grau de espontaneidade maior", disse.

Com o início da cobertura, a equipe de Serra abandona a estratégia de preservar sua imagem e passa a aumentar a exposição do candidato. Os tucanos entendem que as emissoras costumam evitar temas polêmicos, mantendo foco nas propostas.

No evento petista, Haddad também esperou os técnicos da emissora ajustarem seus equipamentos, para só então dar início à entrevista coletiva.

Roteiros. Durante a visita ao instituto de reabilitação, Serra conversou com pacientes e suas famílias. O evento reforça duas bandeiras da campanha do tucano. Em seus discursos, o candidato costuma apresentar como trunfo sua parceria com Alckmin, o que ampliaria os investimentos na capital. Além disso, tenta colar sua imagem a projetos inovadores e destaca com frequência a criação da rede Lucy Montoro de reabilitação de deficientes, quando Serra foi governador do Estado.

Haddad aproveitou a caminhada pela zona leste para continuar se apresentando aos eleitores, prática adotada desde o início da campanha nas ruas. "Eu sou Fernando Haddad, candidato do PT à Prefeitura", repetia ele.

Antes desse evento, o petista conversou com mães que sofrem com a falta de vagas em creches municipais. Daniela da Silva, de 23 anos, conta que teve de sair do emprego porque não tinha com quem deixar a filha de 1 ano. Haddad prometeu acabar com o problema que atinge cerca de 150 mil crianças.

Os demais candidatos também optaram por atos na rua. Gabriel Chalita, do PMDB, visitou a Ceagesp, na zona oeste, e Celso Russomanno (PRB) fez uma caminhada pelo Largo 13 de Maio, zona sul. / BRUNO BOGHOSSIAN e ISADORA PERON

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.