Páginas da vida

Um velho amigo escritor de novelas está vivendo na vida real um dramalhão que nunca havia lhe passado pela imaginação de ficcionista.

Nelson Motta, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2012 | 23h49

Depois de 25 anos de convivência, sua fiel cozinheira Luzia, que ele considera a verdadeira mulher de sua vida - pois sobreviveu a três esposas diferentes - lhe fez uma confissão bomba.

Aos 20 anos, mãe solteira e desempregada, Luzia deu a luz a duas meninas. Foi acompanhada na gravidez e no parto por um bondoso médico casado com uma pediatra. O casal não podia ter filhos e propôs a Luzia que lhes desse as gêmeas em adoção.

Sem trabalho, sem recursos e sem família, já seria duríssimo criar uma filha sozinha, como criar duas?

Com os pais adotivos, elas poderiam crescer numa boa família com todas as condições de lhes dar uma vida confortável e afetuosa e lhes proporcionar uma boa formação pessoal e profissional.

Luzia hesitou muito, sofreu muito para decidir, mudou de ideia várias vezes, e, quando as meninas tinham dois meses, no último momento, com o coração partido, decidiu ficar com uma e entregou a outra aos pais adotivos, assumindo o compromisso de jamais procurá-la.

Mudou de cidade e trabalhou duro por trinta anos para dar uma boa educação à filha, hoje casada e com um filho. Mas mesmo mantendo o compromisso de não se aproximar, o coração de mãe de Luzia sempre acompanhou à distancia a vida da outra filha e de sua família.

Sabe que hoje ela é médica e tem dois filhos, mas o pai adotivo morreu e a mãe está muito doente. E decidiu que é hora de conhecer a filha e os netos.

Mas não pode telefonar ou bater na sua porta e dizer "Mamãe chegou". O escritor sugeriu que o melhor seria uma carta contando toda a história. E aí a filha poderia, como nas novelas, encontrar sua mãe biológica. Ou não. E se ela a odiasse por tê-la dado em adoção, temia Luzia. Ou talvez fique feliz com uma irmã gêmea e uma "nova" mãe, o escritor a animava.

Coube a ele a mais importante missão dramatúrgica de sua vida: escrever a carta de Luzia contando à filha toda a verdade. Como ela reagirá? Luzia se reunirá com suas filhas e netos num final feliz? Fim de capítulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.