MARCELO CAMARGO/AG. BRASIL
MARCELO CAMARGO/AG. BRASIL

Pacheco e Carlos Viana são eleitos para o Senado em Minas Gerais

Candidatos apoiados por Antonio Anastasia desbancaram a presidente cassada Dilma Rousseff

Jonathas Cotrim, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 22h04

BELO HORIZONTE - Com 99% das urnas apuradas, os candidatos Rodrigo Pacheco (DEM) e Carlos Viana (PHS) estão tecnicamente eleitos para o Senado. Eles terão oito anos de mandato a partir do ano que vem.

Pacheco e Viana tiveram votação parecida, com 20,5% dos votos (3,6 milhões) para o candidato do DEM, e 20,23% (3,5 milhões) para o postulante do PHS.

Os dois eleitos deixaram para trás o candidato Dinis Pinheiro (Solidariedade), com 18,42% (3,2 milhões) e a ex-presidente cassada Dilma Rousseff (PT) com 15,32% (2,6 milhões). Nas pesquisas antes da eleição, Dilma sempre aparecia na liderança da disputa.

Rodrigo Pacheco é deputado federal e foi presidente da comissão de constituição e justiça da Câmara no período do impeachment de Dilma Rousseff, em 2015. O candidato fez parte da coligação de Antonio Anastasia e pretendia concorrer ao governo de Minas Gerais, mas no último dia para registro das candidaturas, ele foi anunciado como senador na chapa do PSDB.

Carlos Viana é jornalista e disputou as eleições pela primeira vez. Mesmo sem fazer parte da coligação do PSDB, o senador apoiou e foi apoiado por Antonio Anastasia, e participou de diversos eventos com o candidato ao governo mineiro. Mesmo com o apoio informal, o “novato” na política também recebeu apoio do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, do PHS. Viana também fez muitas críticas ao senador Aécio Neves, que disputou uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.