Outros condenados mantêm postura mais discreta

Os demais petistas condenados no processo do mensalão têm mantido uma postura diferente da do ex-ministro José Dirceu. Embora o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) tenha organizado o primeiro evento público para contestar o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), no fim de novembro do ano passado, esse foi um dos poucos atos do qual participou. O ex-tesoureiro Delúbio Soares raramente é visto em eventos públicos.

O Estado de S.Paulo

18 de março de 2013 | 02h07

O único condenado petista que mantém uma agenda de protesto parecida com a de Dirceu é o deputado José Genoino, ex-presidente da sigla. Além de ter participado de uma série de eventos nos últimos meses, não abriu mão de assumir uma vaga na Câmara em janeiro deste ano, mesmo após ter sido condenado a 6 anos e 11 meses de prisão e de o Supremo ter decidido que os parlamentares condenados pelo mensalão perderiam os seus mandatos após a conclusão do julgamento.

Juntos, em um mesmo evento, os quatro estiveram apenas uma vez. Foi no aniversário de 60 anos de militância do petista Ricardo Zarattini, em 6 de fevereiro. Na ocasião, João Paulo fez o discurso mais inflamado. Dirceu foi o mais contido. / I.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.