OUTRO PARTIDO BUSCA CLIENTELA

Organizadores do PROS fizeram panfletagem em Brasília para 'fisgar' prefeitos recém-eleitos

O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2013 | 02h05

Nem de esquerda, nem de direita. Apenas uma forma tranquila de mudar de legenda, sem perder o mandato. Com esse apelo, o Partido Republicano da Ordem Social (PROS), que pretende ser a 31.ª sigla brasileira, tentava conquistar prefeitos recém-eleitos no encontro promovido ontem pelo governo federal.

"Insatisfeito com seu partido? Quer sair dele sem perder o mandato? O PROS é a mais nova opção", dizia panfleto distribuído no evento, em Brasília.

O PROS se define como de centro. "Eu sou PROS, não posso ser do contra", diz o hino da sigla. Para se filiar, não é necessário ser ficha limpa. Em sua presidência está Eurípides Júnior, um ex-vereador de Planaltina.

Primeiro tesoureiro do diretório nacional, Niomar Calazans explicava ontem aos interessados, por telefone, não ser necessária nem certidão criminal: "É só assinar a ficha".

O grupo garante já dispor de 400 mil assinaturas, faltando pouco menos de 100 mil para criar a nova legenda. A intenção é encaminhar a documentação ao TSE até março, para concorrer já em 2014.

Segundo Niomar, a sigla vem obtendo 10 mil assinaturas por dia. Cada colaborador recebe R$ 0,25 por eleitor cooptado. "Fazemos, sim. É R$ 0,25 por assinatura válida", explicou Calazans, ao conversar com o repórter do Estado, que se apresentou como interessado em aderir ao partido. / FÁBIO FABRINI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.