Opositores do PT comemoram resultado de julgamento do mensalão

Parlamentares defendem ainda que Ministério Público proponha uma ação penal contra Lula

Eduardo Bresciani e Ricardo Brito, de O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2012 | 03h07

BRASÍLIA - Parlamentares da oposição afirmaram nessa terça-feira, 23, que a condenação pelo Supremo Tribunal Federal da antiga cúpula do PT - o ex-ministro José Dirceu e o ex-presidente José Genoino - cola no partido do governo federal a marca da corrupção de forma definitiva. Para alguns deles, é preciso ainda cobrar do Ministério Público a proposição de uma ação penal também contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No PT, o acordo entre as lideranças é de manter silêncio sobre o tema até o fim do segundo turno das eleições municipais, que será realizado no domingo.

O vice-presidente do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), disse esperar um efeito educativo do julgamento. "Caiu a máscara do PT. A realidade veio à tona. O Supremo os condenou pela formação de quadrilha e corrupção ativa e o Brasil espera que isso possa interferir na prática política e eleitoral no País. Não é possível conviver com a tese de que campanha eleitoral e aprovação de projetos no Congresso se deem à base de mensalão, emendas e cargos", disse.

O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno, acredita que a condenação mancha de forma definitiva a história do PT. "O governo Lula fica carimbado como o governo do mensalão e o PT é o partido do ficha-suja. O PT construiu todo um esquema no sentido de tomar conta do poder pelo poder, sem preocupação com a sociedade e com o País."

Para o senador Pedro Taques (PDT-MT), o julgamento reforça a independência do Supremo e demonstra que a política não admite "criminosos" participando dela. Taques ressaltou, ao mencionar o voto do ministro Celso de Mello, que ninguém está acima da lei. O senador criticou o ex-presidente Lula, que, em entrevista publicada no jornal argentino La Nación no fim de semana, disse ter sido absolvido pelas urnas. "Quem absolve é o Supremo", rebateu.

O parlamentar do PDT defendeu ainda que, após o julgamento do mensalão, o Ministério Público Federal tome providências para investigar o envolvimento do ex-presidente Lula com o escândalo. "O Supremo chegou a essa conclusão (o suposto envolvimento de Lula) nos votos arrasadores dos ministros", avaliou o senador.

A mesma medida é defendida pelo líder do PPS. "Vai se ver que nesse aparato havia um grande comandante. O próprio José Dirceu dizia que tudo o que fazia era de conhecimento do Lula", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.