Oposição quer ouvir número 2 da Secretaria de Portos

Líder do PPS, o deputado Rubens Bueno diz que pretende apresentar hoje requerimento para convocar Mário Lima Jr.

JOÃO DOMINGOS , LU AIKO OTTA / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2012 | 02h02

Os partidos de oposição querem ouvir o secretário executivo da Secretaria de Portos (SEP), Mário Lima Junior, que, como informou o Estado na edição de ontem, negociou com a máfia dos pareceres a liberação de um projeto de interesse do grupo ligado ao ex-senador Gilberto Miranda, investigado pela Operação Porto Seguro. "Nesta quinta vou apresentar o requerimento de convocação", disse o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR).

"Não podemos nos esquecer de que a Secretaria dos Portos é diretamente ligada à Presidência", afirmou Bueno. "E um órgão da Presidência não pode confundir público com privado".

Segundo a PF, Lima Junior se reuniu com o ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) Paulo Vieira para negociar a construção de um porto na Ilha dos Bagres, em Santos, que seria explorado por empresa ligada a Miranda. Paulo Vieira é tido pela PF como chefe da quadrilha.

O PSDB também quer ouvir o número 2 da Secretaria dos Portos. "Já entramos com requerimento em todas as comissões, para ouvir todo mundo. Vamos chamar também o secretário executivo dos Portos", disse o deputado Marcus Pestana, presidente do PSDB de Minas Gerais. Com relação à ex-chefe de Gabinete da Presidência em São Paulo, Rosemary Noronha, o pedido é que ela seja ouvida na Comissão de Controle e Inteligência do Congresso, que prevê a possibilidade de depoimento secreto.

Pacote. A revelação de um esquema de lobby e tráfico de influência na área dos portos não afetou a discussão do pacote de medidas dos portos, disse ao Estado o ministro-chefe da SEP, Leônidas Cristino. A previsão é que as medidas saiam no dia 6.

Cristino disse ter conversado com Lima Junior e o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Portuário, Rogério Menescal, citados nas conversas grampeadas de Paulo Vieira. "Não vi nada que maculasse a atuação deles", garantiu. Afirmou, ainda, que a SEP negou o pedido a respeito da Ilha dos Bagres, que é da competência da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.