Oposição foca relação de Cabral com Cavendish

Para adversários, imagens nas quais o governador aparece em momentos de descontração com dono da Delta justificam pedido de convocação na CPI

LUCIANA NUNES LEAL / RIO, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2012 | 03h08

Partidos de oposição decidiram pedir a convocação do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), à CPI do Cachoeira, para que ele explique as relações com o empresário Fernando Cavendish, dono da Delta Construções.

Embora o PMDB nacional esteja pronto para entrar em campo e evitar o depoimento do governador, o PSDB e o PSOL argumentam que a Delta está no centro das investigações e lembram os contratos do governo do Rio com a empreiteira, que recebeu R$ 1,5 bilhão na gestão Cabral.

Na semana passada, Cavendish se afastou da direção da Delta, apontada pela Polícia Federal como financiadora de empresas fantasmas criadas pelo contraventor Carlinhos Cachoeira, preso em consequência das investigações da Operação Monte Carlo.

Para parlamentares do Rio adversários de Cabral, a convocação do governador tornou-se inevitável depois da divulgação, pelo deputado e ex-governador Anthony Garotinho (PR), de uma série de fotos e vídeos do governador em momentos de descontração com Cavendish. Desde a última sexta-feira, Garotinho divulga novas imagens a cada dia, sempre mostrando Cabral, secretários de Estado e Cavendish, com suas mulheres, em festas suntuosas e jantares nos mais caros restaurantes da França.

"A CPI investiga as relações mafiosas do Cachoeira com a Delta e a Delta emergiu no Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo, as fotos e vídeos mostram a relação íntima da Delta e de Fernando Cavendish com Cabral. A sociedade exige um esclarecimento do governador e a CPI é o âmbito para essas explicações", diz o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), pré-candidato a prefeito do Rio.

Requerimento. Otávio Leite, que não está na CPI, acertou ontem com Fernando Francischini (PSDB-PR), integrante da comissão de inquérito, o conteúdo do requerimento de convocação de Cabral. Francischini disse que "os fatos são graves" e discutirá hoje o assunto com os outros deputados tucanos da CPI.

"Decidimos assinar todos os requerimentos em conjunto", afirmou o parlamentar paranaense.

O deputado do PSOL Chico Alencar (RJ) também defende a convocação de Cabral e vai conversar com o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), suplente da CPI. "Como a CPI é do Cachoeira e da Delta, todas as articulações e ganhos da Delta têm que ser verificados e, nesse plano, o governador Sérgio Cabral tem informações a dar. Não temos pressa, mas o governador deve falar à CPI", afirmou Chico Alencar.

A assessoria de Cabral disse que o governador não comentaria a possibilidade de convocação, porque os trabalhos da comissão ainda não começaram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.