Oposição cobra que denúncia de Valério seja investigada

A oposição cobrou ontem a abertura de inquérito para apurar a suposta conexão entre o valerioduto e o caso Santo André, denunciada pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza em depoimento à Procuradoria-Geral da República.

FÁBIO FABRINI, EDUARDO BRESCIANI / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2012 | 02h04

Para líderes de PSDB, PPS e PSOL, as declarações do operador do mensalão impõem nova investigação sobre esquema de corrupção na gestão do prefeito Celso Daniel (PT), assassinado em 2002.

O Estado revelou ontem que, no depoimento, Valério disse ter enviado recursos a Santo André, após a morte de Celso Daniel, para estancar chantagens a petistas. A edição de sábado da revista Veja relata que o empresário de ônibus Ronan Maria Pinto estaria ameaçando, em 2003, dizer em público que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, seriam beneficiários dos desvios. Carvalho e Ronan Maria Pinto já negaram contato com Valério e a versão apresentada por ele.

Para o líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), as afirmações de Valério ligam dois grandes escândalos e reforçam a versão de crime "político". "É a primeira vez que se noticia a ligação entre o mensalão e o assassinato, um crime insolúvel."

Celso Daniel foi sequestrado e morto em janeiro de 2002. A Polícia Civil concluiu que se tratou de crime comum, mas o Ministério Público de São Paulo sustenta que o prefeito foi assassinado por tentar acabar com o esquema de desvios.

O PPS incluirá as declarações sobre Santo André em representação a ser encaminhada ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, na qual pede investigação sobre Lula. "Indica-se que a quadrilha condenada no Supremo tem ramificações de toda ordem", afirma o líder do partido na Câmara, Rubens Bueno (PR).

O líder do PT na Casa, Jilmar Tatto (SP), defende que não se dê "credibilidade" às declarações de Valério. "Ele não tem credibilidade mais, se é que teve um dia. Vai para a cadeia e fala isso tudo por este motivo." Tatto afirma que o caso de Santo André já foi apurado, sem ter sido provado o envolvimento de integrantes do PT no crime. "Temos de virar a página."

Para o líder do PSOL no Senado, Randolfe Rodrigues (AP), o PT tenta transformar a situação em batalha política: "O melhor caminho é o do esclarecimento, e não o da desqualificação do denunciante", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Mensalao

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.