Operação Guanabara ocupa mais duas comunidades no Rio

Esta é a primeira vez que militares atuam na Baixada Fluminense desde o início da Operação no último dia 11

Agência Brasil

24 de setembro de 2008 | 15h01

Cerca de mil homens do Exército ocuparam na manhã desta quarta-feira, 24, as comunidades de Lixão e Gramacho, em Duque de Caxias. Esta é a primeira vez que as tropas da Operação Guanabara, de combate a crimes eleitorais, atuam na Baixada Fluminense, desde o início das ações, no último dia 11.   Veja também: Presidente do TRE-RJ visita favelas ocupadas por tropas Operação Guanabara: exército passa a ocupar Rocinha e Vidigal Tropas permanecerão em comunidades do RJ no 2º turno   De acordo com o porta-voz da operação, coronel André Novaes, a ocupação foi feita pela 4ª Brigada de Infantaria de Montanha, com soldados de Juiz de Fora, Minas Gerais, e Petrópolis, Rio de Janeiro. Segundo ele, não houve resistência de criminosos à chegada das tropas. "Não foi registrado nenhum incidente. Chegamos, não houve resistência. Já estamos ocupando todas as posições previstas", afirmou Novaes.   Antes de chegar a Caxias, os militares já haviam ocupado 17 favelas das zonas sul, norte e oeste da cidade. As tropas permanecem no Lixão e em Gramacho até sexta-feira, 26.   Na quinta-feira, 24, eles passam também a ocupar, por três dias, as comunidades de Pilar e Beira-Mar, em Caxias, e Vila Vintém, Acari e Amarelinho, no subúrbio do Rio. Na próxima semana, serão ocupadas as favelas do Salgueiro, em São Gonçalo, e Complexo do Alemão e Vila Cruzeiro, na zona norte do Rio de Janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.