ONU está 'alarmada' com assassinatos

A ONU se diz "alarmada" pelo número de jornalistas executados no Brasil em 2012 e cobra "medidas imediatas" do governo. Nesta semana, o jornalista Décio Sá, de 42 anos, foi assassinado no Maranhão - a quarta vítima em 4 meses. A onda de mortes de jornalistas chamou a atenção da ONU. "Condenamos este assassinato e nos preocupa que essa tendência mine o exercício da liberdade de expressão no País", declarou o porta-voz do Escritório da ONU para Direitos Humanos, Rupert Colville. / JAMIL CHADE, GENEBRA

O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2012 | 03h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.