Obama diz estar comprometido em fortalecer laços com o governo brasileiro

Em nota, presidente dos Estados Unidos se refere ao País como 'parceiro importante' e fala em trabalho conjunto com Dilma

Cláudia Trevisan, correspondente, O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2014 | 12h55

Washington - A Casa Branca disse em nota, nesta segunda-feira, 27, que o Brasil é um "parceiro importante" dos Estados Unidos e que o governo Barack Obama está comprometido em trabalhar com a presidente reeleita Dilma Rousseff para fortalecer os laços entre os dois países. Segundo a nota, o líder americano espera telefonar para Dilma "nos próximos dias" para congratulá-la pela reeleição.

Obama também pretende discutir com a presidente maneiras de ampliar a colaboração entre os dois países para "promover a segurança, prosperidade e direitos humanos" em âmbito global e aprofundar a cooperação bilateral em "educação, energia, comércio e outros temas de interesse mútuo".

O relacionamento entre os dois países está abalado desde o ano passado, quando Dilma cancelou visita de Estado que faria a Washington em razão da revelação de que o serviço de inteligência norte-americano a havia espionado.

A presidente visitaria os Estados Unidos em outubro de 2013. Poucos meses antes, documentos revelados por Edward Snowden mostraram que a Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) havia monitorado suas comunicações e espionado a Petrobrás e cidadãos brasileiros.

A reconstrução dos laços entre os dois países avançou durante da Copa do Mundo, com a visita ao Brasil do vice-presidente americano, Joe Biden. Mas o governo Dilma ainda considera insatisfatórias as respostas dadas pelos EUA ao escândalo de espionagem. Dilma exige a promessa de que fatos semelhantes não voltarão a se repetir.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.