O Estado de S.Paulo

28 de março de 2012 | 03h04

Agora com ambos na condição de ex-presidentes da República, Fernando Henrique Cardoso deixou de lado qualquer eventual rusga política do passado e visitou Luiz Inácio Lula da Silva ontem, no Hospital Sírio-Libanês.

Lula finaliza a fonoterapia e aguarda os exames conclusivos para detectar se houve remissão total do tumor na laringe, que devem ser realizados hoje. Desde novembro de 2011 o petista luta contra um câncer na laringe.

FHC e Lula, cujos destinos se cruzaram na política na luta pela redemocratização, muito antes de ambos subirem a rampa do Palácio do Planalto, conversaram a sós a maior parte do tempo, por aproximadamente 50 minutos. A visita começou a ser programada na semana passada, com um telefonema do tucano ao petista. FHC manifestou a Lula seu desejo de fazer-lhe uma visita para levar, de viva voz, os votos de rápido restabelecimento.

Coube a Lula avisar o dia e o horário que estivesse com mais disposição para receber a visita. Lula foi receptivo à manifestação de carinho e mostrou-se disposto a receber o tucano em sua casa. Mas, indagado se preferia ir até o apartamento de Lula, em São Bernardo, FHC avaliou que o mais adequado era prestar solidariedade ao petista no Sírio-Libanês, num encontro mais protocolar, de ex-chefes de Estado.

Segundo a assessoria de Lula, na saída, FHC comentou apenas que Lula estava "bem melhor do que ele imaginava". Os dois tiraram fotos juntos e Fernando Henrique evitou a imprensa. A assessoria de Lula não divulgou o teor da conversa e disse que o encontro teve caráter pessoal. / FELIPE FRAZÃO, DAIENE CARDOSO e CHRISTIANE SAMARCO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.