Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

'O que quer dizer mea culpa? O PT já falou várias vezes dos erros', diz Jaques Wagner

Senador eleito pela Bahia comenta as críticas do pedetista Cid Gomes e diz que ele mesmo já falou dos erros de seu partido. Wagner ainda afirma que aposta em um 'apoio da sociedade' na campanha de Fernando Haddad

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2018 | 12h27

Após o senador eleito Cid Gomes (PDT) tecer duras críticas ao PT, em um discurso realizado em Fortaleza, o articulador político da campanha de Fernando Haddad à Presidência, Jaques Wagner, disse que as declarações do pedetista foram feitas "no calor da campanha".

Diante da cobrança do irmão de Ciro Gomes para que o Partido dos Trabalhadores reconheça os erros, Wagner desconversou. "Que quer dizer mea culpa? O PT já falou várias vezes dos erros, eu já falei várias vezes dos erros". Em uma discussão na noite de segunda-feira, 15, em Fortaleza, Cid Gomes disse que o PT perderá eleição se não fizer mea culpa e chamou a militância petista de 'babaca' 

Wagner afirmou ainda que aposta em um apoio da sociedade, sinalizando que não conta mais com a ampliação de acordos com outros partidos. "Que frente? Quem tá querendo formar frente? Eu desconheço isso", disse Wagner, após uma reunião com Haddad na capital paulista. Anteriormente, o próprio presidenciável petista e aliados já defenderam formar uma frente contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL). "A gente quer ampliar com a sociedade. A gente conversa com todo mundo, mas não tem ideia de frente", declarou o baiano.

Para Jaques Wagner, as críticas de Cid Gomes foram feitas "no calor da campanha" e já é suficiente contar com o "apoio crítico" do PDT e do candidatado derrotado no primeiro turno Ciro Gomes. "As pessoas vão votar já. O Fernando Henrique (FHC) já disse que não vota no outro, o Ciro já disse que não vota no outro." O coordenador político disse ainda que Haddad já fez os gestos para atrair os apoios. "Agora cada um vai decidir o que vai fazer", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.