'O governo é resultado de uma coalizão', diz Dilma

Ao discursar na festa de 32 anos do PT, a presidente Dilma Rousseff reafirmou que a coalizão de partidos que sustentam seu governo tem se "revelado leal e eficaz na tarefa de mudar o País".

BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2012 | 03h01

Diante da plateia de militantes petistas e com a presença do "novo aliado" Gilberto Kassab, a presidente da República fez questão de ressaltar que o PT é o principal partido da base de sustentação governista, composta por 14 siglas.

"Nosso governo é resultado de uma coalizão de partidos. Essa coalizão tem se revelado leal e eficaz. Sou agradecida à base de apoio. Mas esse é também um governo do PT, seu principal partido de sustentação e, por isso, responsável pelos sucessos e insucessos do meu governo", disse Dilma Rousseff.

'Partido de massas'. No discurso, a presidente afirmou que o PT ainda hoje continua sendo um partido de massas.

"Para o PT vieram militantes de diversas origens políticas que não fraquejaram quando derrotados nem sucumbiram aos cantos das sereias conservadoras disfarçadas de modernidade", afirmou.

Dilma argumentou que o governo não pode tirar "impunemente" 40 milhões de pessoas da extrema pobreza sem dar a elas educação e acesso a serviços de qualidade.

Classe C. "Uma verdadeira mudança social não é a simples passagem das classes E e D para a C. Não basta ter pleno emprego ou um grande mercado. Não se pode perder de vista a necessidade de construir uma sociedade de homens e mulheres educados", disse a presidente.

Dilma também conclamou os artistas e os intelectuais a fazer uma reflexão sobre as transformações vividas pelo País nos últimos anos.

"Não há verdadeira mudança social sem mudança cultural. É necessário também ideias para transformar o mundo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.