O chefe da ação no Araguaia

Sebastião Rodrigues de Moura, 78 anos, hoje coronel da reserva aposentado, foi uma figura central na repressão da Guerrilha do Araguaia pelo regime militar, entre 1972 e 1975. Convocado, nos anos 60, para combater a resistência armada no sul do Pará, tornou-se o encarregado da inteligência militar e participou pessoalmente da prisão e execução dos adversários - quase todos militantes do PC do B - pelas Forças Armadas.

O Estado de S.Paulo

14 de março de 2012 | 03h05

Tornou-se também, nesse período, um líder político da região. Fundou no sul do Pará a cidade de Curionópolis, da qual foi prefeito. Depois, elegeu-se deputado federal.

Em depoimento ao repórter Leonêncio Nossa, do Estado, em 2009, Curió abriu arquivos e detalhou números da operação: no total foram mortos 67 guerrilheiros, 41 deles executados quando já não ofereciam perigo - dado que contrariava relatos oficiais dos militares até então.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.