Lan Rodrigues
Lan Rodrigues

O casamento de Meirelles, Boulos, Kátia e Manuela

Presidenciáveis dão trégua na campanha e se encontram em festa politicamente 'ecumênica'

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

04 Setembro 2018 | 08h07

O ex-ministro Henrique Meirelles, presidenciável do MDB, a deputada Manuela d’Ávila (PCdoB), virtual a candidata a vice numa chapa encabeçada por Fernando Haddad (PT); a senadora Kátia Abreu (PDT), vice de Ciro Gomes; e o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, deram no sábado uma trégua na campanha eleitoral para participar em São Paulo da festa de casamento do pesquisador Renato Meirelles, presidente do instituto Locomotiva, com a administradora Adriana Cambiaghi. 

O ex-ministro da Fazenda, acompanhado da mulher, Eva Missine, foi um dos primeiros a chegar ao terraço do Museu de Arte Contemporânea, local conhecido por ter uma visão privilegiada do por do sol. Amigo do noivo, o emedebista conta na campanha com a consultoria de Renato, que é estudioso da classe C do Brasil e fundador do instituto DataPopular

Em tempo: apesar do sobrenome igual, eles não são parentes. Meirelles, o ex-ministro de Temer, evitou a pista de dança e dividiu a mesa com Valter Sorrentino, dirigente do PCdoB. Meirelles, o noivo, fez parte da legenda comunista na juventude, quando foi dirigente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes). Em 1992 foi um dos líderes do movimento pelo impeachment do então presidente Fernando Collor. 

A diversidade de coloração política dos convidados reflete o quão ecumênico o noivo é em seu trabalho. Exemplo disso foi a disputa presidencial de 2014, quando Renato Meirelles, como pesquisador, foi procurado por Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva, então candidata do PSB. “Em um momento em que todos só olham o que divide as pessoas, deveríamos olhar o que une as pessoas. E é isso que eu e a Dri buscamos na vida. Encontrar o que une”, afirmou o noivo. 

Na pista

 No evento, Henrique Meirelles assistiu a cerimônia mas foi embora em seguida, antes do DJ abrir a pista de dança. Já Manuela e Boulos, que são contemporâneos do noivo no movimento estudantil, não se resumiram a falar só de política. Pelo contrário. Os dois aproveitaram os momentos de descontração para dançar e tirar selfies com os convidados. 

Já Kátia Abreu passou a maior do tempo em uma mesa mais reservada, longe da pista de dança. A vice de Ciro Gomes também foi tietada e não escapou dos pedidos de selfies. Um convidado elogiou sua aparência dizendo que, mais magra, ela está “igual” à imagem que virou meme na internet por aparentemente ter exagerado no photoshop. Kátia entrou na brincadeira e deu uma gargalhada como resposta. No Twitter, a senadora afirmou que perdeu sete quilos e tem brincado com essa história em postagens nas redes sociais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.