O adeus de um 'defensor da liberdade'

Morreu ontem de manhã, no Rio de Janeiro, o cientista político Amaury de Souza, de 69 anos. Doutor em Ciência Política pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), dos Estados Unidos, Souza foi professor do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), do Departamento de Economia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e de diversas universidades norte-americanas. Dedicou-se nos últimos anos, entre outras coisas, a pesquisar as atividades parlamentares do País.

RIO, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2012 | 03h03

Em nota, a MCM Consultores, da qual ele era sócio consultor, destacou que o pesquisador "se tornou um dos mais lúcidos analistas políticos do País".

"O Brasil perde um importante defensor da liberdade", comentou um de seus parceiros de pesquisa, o economista carioca Rodrigo Constantino, do Instituto Millenium. Souza é autor de dois estudos significativos da vida política brasileira, A agenda internacional do Brasil: A política externa brasileira de FHC a Lula, e, como coautor, de A classe média brasileira: ambições, valores e projetos de sociedade.

Ele estava em tratamento contra um câncer e passou mal na última quarta-feira, quando precisou ser internado e não resistiu. O corpo está sendo velado desde ontem no Cemitério de São João Baptista e será cremado amanhã, no Cemitério do Caju, no Rio de Janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.