Número dois de Alckmin não fala sobre repasses

O secretário-chefe da Casa Civil, Edson Aparecido, não se manifestou sobre os R$ 170 mil doados para sua campanha a deputado federal, em 2010, pela Scamvias Construções e Empreendimentos Ltda. e Scamatti & Seller Infraestrutura Ltda., ambas classificadas pelo Ministério Público como integrantes de um "conglomerado de corruptores".

O Estado de S.Paulo

15 Abril 2013 | 02h06

Na sexta, Aparecido comentou, porém, as doações feitas pela Demop, outra empresa de Olívio Scamatti. Ele ressaltou o fato de o repasse ter sido registrado na Justiça Eleitoral, portanto era legal. Aparecido admitiu contatos com o empreiteiro, controlador do Grupo Demop e preso pela Operação Fratelli, mas assegurou: "Ele (Scamatti) nunca solicitou nada que indicasse qualquer irregularidade". / F.M. e F.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.