Nova lei agiliza acesso a dados

O Ministério Público e a polícia poderão agilizar o rastreamento sobre ocultação de bens, direitos e valores com base na nova Lei de Lavagem. A avaliação é do procurador da República Rodrigo de Grandis, do Ministério Público Federal em São Paulo. "Agora, podem acessar diretamente dados cadastrais dos investigados, como filiação e endereço, junto às instituições financeiras, administradoras de cartões de crédito e Justiça eleitoral." Ele ressalta que não é quebra de sigilo. "A informação da instituição financeira não é informação bancária, não é extrato, não é a movimentação, apenas o dado cadastral, número da conta, CPF, RG. Torna mais rápida e eficiente a investigação." / FAUSTO MACEDO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.